Texto originalmente publicado no Tilt Uol e republicado no Blog da Criação Humana. O ódio é um afeto e como tal tem direito a plena cidadania entre outros afetos, emoções e sentimentos. Daí que seja vã e, no limite, perniciosa toda tentativa de eliminar afetos, principalmente quando olhamos para nossa história de perseguições a afetos de extração sexual, ou aos afetos intensificados,

“Apoio Mútuo é o ato radical de cuidar uns des outres enquanto trabalhamos para mudar o mundo.  Em todo o mundo, as pessoas enfrentam uma sucessão em espiral de crises, desde a pandemia de Covid-19 e incêndios, inundações e tempestades induzidas pelas mudanças climáticas até os horrores contínuos do encarceramento em massa, policiamento racista, fiscalização brutal da imigração, violência endêmica de

A pesquisadora percorre a onda feminista que se ativou nos últimos anos —com movimentos como o NiUnaMenos ou as greves— produzindo teoria enraizada na ação, com foco na ofensiva do neoliberalismo contra a reprodução social. Buenos Aires, Argentina. Foto de Luci Cavallero, socióloga, feminista e pesquisadora. Junto com Verónica Gago, publicou o livro "Uma leitura feminista da dívida". Há alguns anos, a

Em  Modernidade e identidade , de Anthony Giddens, encontramos a expressão “colonização do futuro”, com a qual o sociólogo britânico procura descrever como a construção de uma narrativa reflexiva do eu, que teça laços entre o presente, nosso passado e um projeto de futuro, nos proporciona segurança ontológica e reduz nossa sensação de risco, frente ao que está por vir, na medida

Dean Spade O radical professor de Direito explica como podemos atender às necessidades uns des outres com dignidade, cuidado e justiça. Quer se trate da crise climática, perda de salários, custos de moradia, brutalidade policial, deportação, assistência médica corporativa ou simples má conduta política, é fácil olhar para os Estados Unidos e ver nada além de uma catástrofe à frente. O que menos

“A despolitização não é o destino do mundo”, diz o filósofo. "Trata-se de pensar e de praticar a ação política à altura dos desafios que temos à nossa frente. É preciso reinventar a democracia à altura do século XXI…" Quais os impactos que os dispositivos de poder vêm provocando nas formas de governo da vida humana? Essa e outras questões analisadas

Tradução da matéria de Emiliana Pariente para La Tercera. Foto de Verónica Gago por María José Duran, UDP. Quando a pesquisadora e docente da Universidade de Buenos Aires, Verónica Gago, fala da reprodução social como um território de politização e luta, que tem o potencial de desmantelar - ou ao menos questionar - as dinâmicas abusivas instauradas na América Latina pelo

por Maria Florencia Cascardo* e Alberta Bottini** Resenha do livro "Uma leitura feminista da dívida, de Luci Cavallero e Verónica Gago. Livro "Uma leitura feminista da dívida". Foto: Carol Ferraz O livro “Uma leitura feminista da dívida: vivas, livres e sem dívidas nos queremos!” propõe uma nova forma de olhar e compreender a dívida. Diferentemente dos estudos centrados nas abstrações financeiras e

Por Marco Aurélio Máximo Prado. As transidentidades questionaram boa parte do conhecimento psi e suas legitimidade. A base de sustentação de muitos estatutos científicos vem sendo interrogada a partir das experiências e identidades trans e travestis. A psicologia, a psicanálise e outras práticas, embora interpeladas pelas posições dissidentes, retardaram muito a agir e iniciar sua autocrítica, dado o mal feito destas

Sempre uma ideia nova,
para colocar na roda e discutir.